Como é passar o Carnaval no Rio de Janeiro?
14/02/2012 3 comentários

Como é passar o Carnaval no Rio de Janeiro?

Como é passar o Carnaval no Rio de Janeiro? Bom, para aqueles que tem receio de ir a cidade, posso garantir que é a época mais tranquila de pisar naquela cidade é durante o Carnaval…
Flor, tu tá doida, é? Não, não…
Bom, todo mundo está careca de saber que entre os carnavais mais famosos do mundo estão Rio de Janeiro e Salvador, não é mesmo? Que orgulho de ser brasileiro, né?
Então, por isso mesmo, o povo carioca acostumado com esta rotina anos e anos fica com as seguintes alternativas: (a) sai da cidade correndo para a Região dos Lagos (que é muito provável); (b) fica totalmente dedicado e concentrado com os desfiles das escolas de samba e o Sambódromo; (c) curte os blocos de carnaval de rua que passam pela cidade; ou (d) se tranca em casa para fugir daquele bando de turistas e batuques que dominam à cidade maravilhosa durante esta época.
Pois bem! Não pelo motivo de ter medo de qualquer violência no Rio, mas por motivos óbvios na época, passei dois carnavais (por enquanto) da minha vida por lá e posso garantir que vale muito a pena!
No primeiro ano em que passei o carnaval no Rio de Janeiro, cismei (obviamente) que queria dar um pulinho lá na Marquês de Sapucaí para ver todo aquele samba no pé do povo carioca, escutar aquele barulho delicioso e ensurdecedor das baterias de escola de samba aliado ao glamour de estar em um dos melhores e mais famosos carnavais do mundo. E não é que eu fui…:)
Mas muita calma…antes de cogitar a hipótese de que eu desfilei, já digo…não, não! Até queria, mas não foi daquela vez! Era trainee de Sapucaí e, como todo bom trainee, a ponderação sempre é “bem vinda”!!! he he he!!!
Bom, como todo evento concorrido, mesmo não desfilando, você precisa se preparar para o evento, comprar os ingressos com antecedência etc. Lembro-me que na época compramos os ingressos logo que abriu a venda. E quer saber de uma coisa? Ainda bem! Porque esse é o tipo de ingresso que acaba antes que ingresso de partida de futebol em Copa do Mundo!
Enquanto não chegava o dia da Sapucaí, eu que não sou besta, fui aproveitar aquelas belas nem um pouco famosas praias, ir ao Bar Bracarense (para comer meus oito bolinhos de camarão…rs!) e perambular pelas ruas do belo Rio de Janeiro…
E não é que no meio de toda essa “perambulação”, me deparo com algo tipicamente carioca…
Não vai me dizer que foi com a Garota de Ipanema ou com “Neguinho da Beija Flor”!! Não, não! Poderia, mas não foi com isso que me deparei…
Me deparei com um bloco típico de rua, o que é normal em todos os estados brasileiros! Afinal, estamos no país do Carnaval…
Posso dizer que é algo impressionante! O pessoal se reúne em paz e harmonia e, na verdade, quer só curtir as “marchinhas de carnaval”, confraternizar, ir atrás do bloco, enfim, se divertir com toda aquela energia tipicamente carioca. Naquele momento, fiquei curiosa para saber mais sobre os blocos e, descobri, que há blocos durante o dia e outros durante a noite, assim como, descobri que eles passam por algumas ruas e avenidas do Rio e que possuem nomes completamente, digamos, exóticos.
Exóticos? Sim, sim…
O que te parece a seguinte expressão: “Vai tomar no Grajaú”!
Pois é! Na verdade, “Vai tomar no Grajaú” é o nome de um bloco carioca. Outros nomes exóticos são: “Escangalha”; “Me esquece“; “Empolga às 9”; “Vem ni mim que sou facinha” etc. E no meio de todo essa imaginação tem também o famoso “Monobloco”…
Passada a euforia inicial com os blocos, fui parar lá na Sapucaí! Aos desavisados, não pensem que é fácil chegar por lá nesta época, que não encontrarão tumulto ou que qualquer meio de transporte parará na porta da Marquês de Sapucaí…se pensar isso, ingenuidade a sua! Por isso, chega cedo! Nada de chegar na hora do desfile…será uma estupidez!
Como estava no Leme, resolvemos ir de Metrô (sim de Metrô no Rio – é bem arrumado e ajeitado) até lá e fazer a caminhada no meio de toda aquela loucura de pessoas e fantasias. Neste momento, você começa a sentir aonde irá adentrar e a energia daquele lugar! Enfim, chegando à porta da Marquês de Sapucaí fomos aos nossos postos e lá esperamos pelo primeiro desfile.
Em meio a toda essa expectativa, percebi que o povo carioca que vai ao Sambódromo para assistir a sua escola predileta passar, tem um carinho por aquele momento como se a escola fosse uma filha distante que passará e desfilará deslumbrantemente pela avenida.
Só sei que  chegando perto do primeiro desfile de escola de samba, eu que fiquei no recuo da bateria, comecei a escutar o aquecimento de toda aquela batucada! Nossa, nossa…aquela batucada dá energia para uns mil carnavais! É algo que arrepia, é algo que não tem explicação, é algo para ir, para assistir, para vibrar e para curtir!
Afinal, estamos falando da maior manifestação de alegria do Planeta Terra! Por mais ranzinza que você possa ser, não tem como não abrir um sorriso, ensaiar um samba no pé e cantar ao menos o refrão do enredo da escola de samba!
Por isso, meus queridos leitores, se tiverem oportunidade e condições, não deixem de participar desta grande festa brasileira. E que venham outros carnavais…

Gostou das dicas? Seja mais um leitor parceiro e nos pague um café!

Se esta dica for útil a você, retribua a gentileza e ajude a gente também! Cada vez que você reserva um produto por algum dos links abaixo, recebemos uma pequena comissão que ajuda a monetizar esta plataforma e a atualizar nosso conteúdo com várias dicas bacanas e úteis a você, sem que tenha que pagar nada a mais por isso. Caso tenha que cancelar a reserva por ter encontrado um preço melhor no Booking.com ou em outro parceiro, entre novamente no link de hospedagem abaixo para fazer a transação, já que o site de hospedagem desconsidera a comissão pra gente quando ocorre o cancelamento e é feita uma nova reserva. Muito obrigada ;-)