O que fazer em Atenas, onde comer, ficar, quantos dias, guia e outras dicas…
22/04/2016 4 comentários

O que fazer em Atenas, onde comer, ficar, quantos dias, guia e outras dicas…

Há algum tempo postei um diário de bordo com o meu dia a dia em Atenas e nas ilhas gregas, entretanto, creio que para ficar mais prático para vocês acharem as informações, transformarei tal diário em posts com o que fazer, onde ir entre outras dicas. E para começar, vamos de Atenas, a capital da Grécia e, primeira parada no país.

Afinal, o que fazer na histórica Atenas?

A primeira coisa é preparar os pés para andar. Atenas respira história, cultura e gastronomia e, nada melhor que descobrir a cidade caminhando. Em seu roteiro pela cidade não poderá faltar o seguinte:

1 – Acrópole e Pathernon  

Reserve pelo menos meio dia para visitar a Acrópole e o Pathernon e, não faça a sua visita sem um guia contigo. É muita história, muita curiosidade e muito detalhe para você só olhar com seus próprios olhos e se apoiar em eventuais guias de viagem.

Para você entender melhor o que é Acrópole e o que é Parthenon, algumas informações importantes:

Acrópole – dedicada a deusa Atenas e datada de 3.000 a.C., foi construída para proteger os doze deuses gregos e gregas e, significa o topo de um lugar na cidade em grego.

 

Especialmente em Atenas, tanto a Acrópole quanto os monumentos que ali estão, foram construídos bem no extremo topo, com o intuito de mostrar às civilizações a imponência dos gregos.

 

Parthenon (não pode entrar no templo) – datado de 457 a.C. é o templo construído e dedicado a deusa Atena que, de acordo com a mitologia grega, era virgem e nunca fora casada. Na época, acreditava-se que Atena oferecia ao povo a prosperidade e a oliva, uma das maiores riquezas e fontes de renda da Grécia desde sempre.

O Parthenon foi construído em 10 anos e está em restauração desde 1983. Tudo graças as destruições sofridas durante as invasões dos povos persas e turcos em seu território. A restauração é demorada, pois nada foi construído com cimento naquela época. Isso nem existia. As pedras e mármore eram encaixados com ferro, conforme podem ver abaixo:

Curiosamente, devido aos domínios do Império Romano e Turco, o Pathernon além de templo da deusa Atena, já foi igreja e mesquita. Você imaginava isso? Nem eu…rs

Para o texto sobre a Acrópole e o Pathernon não ficarem muito longos, vou parar por aqui. Caso você vá cedo, encontrará vários guias na bilheteria da Acrópole oferecendo um tour guiado, Eu, como estava com a minha guia e antropóloga Mariza (colocarei o contato dela no final do post), não me preocupei com isso, mas fica a dica para vocês, pois acho de extrema importância.

Aos estudantes que visitarem a Acrópole, saiba que se apresentar sua identificação pagará metade do ingresso. Fui com a carteirinha de estudante da FGV na época e aceitaram numa boa, mas nada de abusar da sorte. Leve também a sua carteirinha internacional para não ter nenhum tipo de contratempo. Informe-se do ingresso que dá direito a entrada não só na Acrópole, mas a várias atrações.

Cuidado: parte do chão da Acrópole é mármore e extremamente escorregadio. Aconselho a ir com sapatos ou tênis anti derrapantes.

 

2 – Museu da Acrópole 

Coladinho na Acrópole, pegue a famosa “Rua dos Pedestres” e siga rumo ao Museu da Acrópole. Já na entrada, ao olhar para o chão de vidro (é toda esta parte em volta da parte aberta), se deparará com parte da herança deixada pela antiga civilização, já que bem abaixo de seus pés verá alguns rastros de suas formações arquitetônicas.

 

Já no museu, os seus olhos vão brilhar com várias peças de milhares de anos e, muita história sobre os deuses, os monumentos e a civilização grega, em um ambiente moderno e com ar condicionado (rs! um refresco durante o verão grego).

O museu é uma sábia forma de preservar tantos monumentos, esculturas e história de milhares de anos antes e depois de Cristo.

3 – Teatro de Dionísio (Deus do vinho, da fertilidade e do teatro)

O teatro fica naquele miolo da Acrópole e foi considerado o teatro mais importante da Grécia Antiga. Atualmente, é possível ainda ir ao teatro e visitar as suas ruínas. Há uma grande concentração de pessoas dentro e fora do teatro.

Durante as noites de verão é uma delícia sentar por lá, mesmo com suas 78 fileiras de pedra e nada confortáveis (originalmente construído a base de madeira). O maior conforto que se tem é na primeira fileira, feita de mármore, para na época acomodar os “importantões”.

Dica: suba até o topo (pertinho da Acrópole) e tenha a visão de Atenas e dos teatros de Dionísio e Odeon.

4 – Teatro (ou Odeão ou Odeon) de Herodes Ático

Não deixe de ir durante a primavera ou verão e assistir a um concerto ao ar livre. Tive a oportunidade de ser convidada pela Mariza para ir a um concerto de ópera e é sensacional ficar ali no meio de tanta história.

Não se preocupe porque sentará no mármore ao invés de pedras…rs

5 – Por do sol no topo de Areopagus (ou Areópago – Monte ou Colina de Ares)

Além de ser um lugar extremamente histórico, o por do sol no topo de Areopagus é totalmente inesquecível. De lá você verá bem a sua frente e aos seus pés a cidade de Atenas e, caindo o pescoço para a extrema direita de que vê a capital grega, está a Acrópole.

Para quem não conhece a história de Atenas, o Areopagus é o local onde o então Apóstolo Paulo pregou pela primeira vez o Cristianismo na Grécia Antiga, além de ter sido o tribunal ateniense por muito tempo onde uma espécie de conselho se reunia não só para julgar, mas também para discutir questões ligados a educação e ciência.

 

Ir a Atenas e não ver o por do sol na colina do Areopagus é quase que um sacrilégio.

6 – Plaka e a sua Rua Adriano

Muito próximo das principais atrações e pontos turísticos e históricos da cidade de Atenas, o famoso bairro de Plaka é um verdadeiro paraíso gastronômico, hoteleiro e comercial.

A Rua Adriano, a mais conhecida das ruas na cidade, é um verdadeiro oásis para a mulherada e o terror da homarada. É lá que ficam muitas das “lujinhas” do bairro. Comprei vários souvenirs bacanas nas redondezas desta rua, como mini réplicas de deuses gregos.

7 – Templo de Zeus (o Deus do Olimpo)

Outra parada obrigatória na cidade é o Templo de Zeus. Alguns vão antes a este templo para comprar o ingresso que também dá direito a entrada na Acrópole para evitar eventuais filas, mas se você chegar cedo, a lógica é ir primeiro a Acrópole, até em função do extremo calor que faz em dias de verão e primavera.

Quando se chega ao Templo de Zeus há um mix de impacto com o tamanho e imponência de suas remanescentes quinze colunas (originalmente eram 104) e da frustração de ver o monumento, que levou 700 anos para ser construído, praticamente inexistente.

Além do famoso Templo de Zeus em Atenas, há também outro templo dedicado ao deus grego localizado na cidade grega de Olímpia (a imponente estátua feita para este templo que, inclusive foi considerada um das sete maravilhas do mundo antigo, foi totalmente destruída). Para quem não sabe, foi lá que aconteceram os jogos olímpicos da antiguidade.

Pelo fato da cidade ser distante de Atenas, infelizmente não consegui visitá-la, mas já anotei na lista para quando retornar a Grécia.

Observação: Caso não queira entrar no Templo, você pode avistá-lo por trás de suas grades de proteção. Não será a mesma coisa, mas é possível. Outra coisa, atente-se aos horários, pois os horários são meio esquisitos por lá.

8 – Arco de Adriano

Bem próximo ao templo de Zeus está o Arco de Adriano, construído para separar a cidade antiga e a até então cidade nova e “romana” (durante o Império Romano). Tal arco com seus imponentes dezoito metros, fica mais que visível do outro lado da avenida que atravessamos para chegar ao templo.

9 – Estádio Panatenaico

Originalmente construído em 556 a.C., o Estádio Panatenaico foi totalmente restaurado para a realização das provas de atletismo dos primeiros Jogos Olímpicos da era moderna em 1896. O estádio ainda é utilizado, mas para eventos muito especiais e importantes para o povo grego.

O que mais me impressionou no Panatenaico foram as arquibancadas, feitas totalmente de mármore e a sua simetria, quando visto de perto e de longe. Para quem quiser visitar o estádio duas opções: parar em frente e olhar por fora sua imponência ou pagar o valor do ingresso e visitar o estádio e o museu, acompanhado de um áudio guia. Eu, sinceramente passei por lá no final da tarde e somente o avistei, pois tive um banho de informações sobre ele através do meu guia do dia, o Paul, que faz um trabalho bem bacana juntamente com o George de Free Walking Tour em Atenas (o contato e dados colocarei abaixo também).

10 – Parlamento Helenico e Praça Sintagma 

Localizado na Praça Sintagma, o Parlamento Grego é famoso não só pelo fato de ser a sede do governo, mas também pela curiosa troca de guarda (detalhe para os sapatos de pom pom e o calor que estava – segunda foto) e pelas manifestações que ocorrem em seus arredores.

 

Segundo a Mariza e o Paul, os gregos quase que diariamente manifestam por algum motivo lá no final do dia, mas apesar do tumulto, é bem tranquilo passar por lá durante as manifestações, já que é feito um cerco policial para evitar qualquer contratempo.

 

Além de abrigar sede do parlamento, a tradicional Praça Sintagma é o ponto de encontro dos gregos para bater papo, jogar dominó entre outras atividades de entretenimento. Com a crise, a concentração na praça tem sido cada vez menor.

11 – Metrô 

Quando o assunto é Atenas até o metrô é atração turística. Apesar de poder fazer toda esta parte histórica e turística a pé, experimente pegar o metrô na estação da Praça Sintagma ou em suas estações próximos.

Dentro das estações, verá um verdadeiro museu arqueológico. Isso ocorre porque na época da construção de novas linhas do metrô para as Olimpíadas de Atenas de 2004 descobriu-se nas escavações que havia um verdadeiro tesouro embaixo da terra.

Para o desespero dos engenheiros e pessoas ligadas as obras, toda vez que algo era descoberto nas escavações, as obras tinham que imediatamente serem paralisadas para que os arqueólogos analisassem todo o material e ver como se trataria a questão. Obviamente, como tinha muita história soterrada o que se fez, para não mudar a malha do metrô, foi manter o que era histórico e importante, construindo a obra ao redor das relíquias.

 

Resultado disso? Um verdadeiro museu metroviário! Agora, vem cá, que cidade é essa, né? Museu a céu aberto e fechado? É bom demais…

 

Entre todo o tesouro arqueológico que vi com meus próprios olhos, o que me chamou e muito a atenção foram os brinquedos de mais de 3.000 a.C. encontrados.

As fotos não estão muito nítidas em função “da luz” nas estações de Metrô. É mais para vocês terem uma ideia do que escrevi.

12 – Outras coisas para coisas para conhecer, que você passará em frente (ou quase) na rota 

Outros pontos históricos e turísticos que valem dar uma passadinha para ver são: Zappeion (pertinho do estádio – tente ir pelo parque), Ágora Romana (locais de reunião de qualquer espécie – se vê por fora das grades, tranquilamente), biblioteca entre outros lugares interessantes que verá pelo caminho.

Visite as igrejas ortodoxas gregas. Além de lindas, você ficará impressionado pela simplicidade e beleza.

Não deixe de visitar as belas Church of Theotokos Gorgoepikoos e Ayios Eleythorios.

13 – Outro passeio legal de fazer para quem quiser fugir do sol ou passear a noite de jeito diferente (EUR 6 – preço a confirmar) 

Estava fotografando os arredores da Ágora Romana quando dei de cara com uma daquelas placas de tour de trenzinho por Atenas e não resisti.

Encarei o Athens Happy Train e foi uma experiência bem bacana, pois fiz um check list vendo se havia algo que não tinha passado ainda. Me lembro como se fosse hoje que um senhor grego (coisas que acontecem comigo…rs) no meio do passeio pediu para ver o meu pulso. Ele olhou para o meu pulso, olhou pra mim e disse, meu peso, altura, personalidade e idade. E não é que ele acertou tudo na mosca?! No final do tour, deixei ele ir embora para seguir o rumo…rs

Quantos dias em Atenas?

Pelo fato de ser muito concentrada grande parte de suas principais atrações, dois dias inteiros na capital grega são suficientes para quem quiser explorar a cidade, sua cultura e gastronomia.

Ágora Romana

Se estiver mais dias reservados, faça os passeios que levam às ilhas próximas e reserve ao menos um dia para Zakynthos. Hoje em dia, o lugar já está mais do que popular entre os brasileiros e é bem provável que já deva ter visto as fotos de babar deste lugar.

O que fazer em cada dia?

Como as principais atrações são próximas, pegue o mapa e faça o planejamento que melhor se encaixar as suas condições. Não se esqueça que durante o meio da primavera e verão as temperaturas são altas, sendo quase impossível ficar muito tempo com o sol no lombo.

Por isso, recomendo que façam Acrópole, por exemplo pela manhã (sim, precisa de meio dia e de um guia se quiser entender tudo aquilo ali) e, deixem os museus, como o da Acrópole para hora do almoço, aproveitando o benefício do ar condicionado.

Todo os pontos que acima descrevi fiz a pé. E, olha que não estava em Plaka…

Onde ficar em Atenas?

Não há lugar melhor para se hospedar para quem vai a primeira vez a Atenas que o bairro de Plaka. Apesar da extrema agitação das ruas, do comércio e dos restaurantes, fica bem no caminho de muitos pontos turísticos e de interesse.

Quando fui a Atenas, fiquei em um bairro próximo ao parlamento, a uns quinze minutos a pé de Plaka e me arrependi. Mesmo sendo um hotel muito bom, com todas as comodidades e que possuía a vista da Acrópole, não tinha muita coisa interessante por perto e tinha que pegar taxi para voltar a noite do agito de Plaka.

Onde comer em Atenas?

Assim como recomendo se hospedar em Plaka, também recomendo comer em qualquer um dos restaurantes do bairro. Não importa se é o mais simples ou o mais luxuoso restaurante, a garantia de boa comida é certa!

Provem pratos tradicionais como a Greek Salad e a Moussaka, mas também comam coisas que se come no Brasil, como batata frita e uma bela massa. A diferença na alimentação do grego é que por mais gordo que lhe pareça o prato, tudo é muito mais saudável.

A batata é frita no azeite de oliva grega, por exemplo. Fiquei um pouco arredia de comer batata frita na Grécia, mas a minha guia particular (doida e antropóloga) Mariza fez questão de pedir durante um almoço que tivemos no restaurante do Museu da Acrópole para que eu pudesse experimentar. E, não é que era boa mesmo? rs!

E, por falar em Museu da Acrópole, assim que sair do Parthenon, almoce por lá. Além da comida ser muito boa, a vista espetacular do Parthenon dispensa maiores comentários. Pedi uma simples massa por lá e estava divina…

Agora, se não quiser perder muito tempo em restaurante ou a grana estiver curta, coma os tradicionais Gyros ou souvlakis (pode ser espetinho ou no pão pita) pelas ruas da cidade e seja muito feliz. É muito bom… 😉

Se estiver de bobeira e quiser dar uma parada para comer algo ser carne etc, mas não muito caro, no caminho da Acrópole tem uma espécie de taverna que não me lembro o nome, mas que comi uma torta de espinafre acompanhada de molho grego que salivo só de lembrar. Gostei tanto que fui lá dois dias.

Não sei o nome, mas guardei o recibo…rs! Quem tiver interesse, peça a um grego para traduzir e dê um pulo lá. Depois me conta como foi…

Uma curiosidade: Fiquei um bom tempo na Grécia e durante o período em que estive lá comi muita Greek Salad, muitos pratos com frutos do mar, muita pasta, muitos meatballs gregos acompanhados, na maioria das vezes de cerveja grega. Mesmo com toda comilança, voltei a terrinha com uns 3 kgs a menos. Tudo isso porque a alimentação por lá é muito mais saudável e feita a base de oliva.

Duas curiosidades: Nas ilhas gregas e em alguns restaurantes em Atenas, após o almoço eles oferecem frutas como cortesia. Muitas vezes, você não precisa nem pedir. Basta eles retirarem o seu prato principal da mesa para virem com o prato de frutas cortadas. Tem como não amar um país desses?

Os gregos falam inglês?

Sim, digamos que quase a totalidade fala inglês fluente. Me lembro uma vez de estar perdida na estrada em Santorini e acabei pedindo informação de uma rota para um rapaz do lixo. Ele me explicou tudo em um inglês para lá de perfeito.

Alguns cuidados em Atenas – 

A capital grega é coberta de história e templos e, sem dúvida um dos lugares que mais me fez sentir em casa, pela simpatia do povo e pela forma que os gregos aproveitam a vida, entretanto, devido a forte crise que o país passa há muitos anos, há alguns pequenos infratores andando pelas suas ruas.

Procure passar longe de escolas e universidades, pois muitos aproveitam os arredores destes locais para praticarem pequenos furtos em troca de comida e outras coisas. Eles ficam estrategicamente próximos a escolas e universidades, pois há uma lei grega que não permite policiais adentrarem tais recintos, ficando tais infratores seguros com os seus furtos.

Desta forma, recomendo uma precaução maior nas ruas próximas ao parlamento grego e nos arredores dos principais pontos turísticos. Não é nada absurdo e assustador, mas todo cuidado é pouco.

Contatos dos guias – 

Mariza – 

Celular: 003 06939 194442
Email: mazizanyfanti@yahoo.com

Ela é sensacional! Antropóloga daquelas, o tour com ela nunca será chato ou sem respostas corretas. Ela vai te explicando ao longo do tour (você customiza junto com ela o que quer conhecer) a história da civilização grega, as invasões, a arquitetura da cidade entre outras coisas e, no meio dos pontos turísticos ela para tudo, saca umas balinhas da mochila e te pergunta coisas que ela te explicou para saber se você captou. Se você for uma boa aluna, como eu, ganhará todas as balinhas…hhahahahaa! Ela adora esse quiz e no final achei ótimo porque consegui guardar muitas coisas do que ela me contou.

Mariza e eu falando grego no hall do hotel

O serviço dela é privado, totalmente em inglês (ou em grego…rs) sendo que, ela te pegará no hotel e te devolverá no hotel. A diária da Mariza é de EUR 150, (preço a confirmar).

Free Walking Tour – 

Website: http://www.athensfreewalkingtour.com/afwt/index.php/en/
Email: info@athensfreewalkingtour.com

Conduzido e administrado pelo simpático George é uma opção para quem está com a grana curta, mas quer um serviço de qualidade.

No dia, como eu era a única na turma, o Paul (o George estava ocupado e não me lembro agora se havia pedido algo privado ou não, acho que não) me buscou e me devolveu sã e salva ao hotel. O tour deles também é em inglês e passa pelas principais atrações turísticas. Como trata-se de um Free Walking Tour, você contribui com o quanto pode pagar pelo serviço.

Para não desmerecer a simpatia do atendimento do George via email e toda a atenção do Paul, dei EUR 100, pelo passeio, que começara bem mais tarde que o tour da Mariza. Apesar de não ter a necessidade de pagar tal valor, achei justo, até porque pagaria EUR 150, a Mariza no dia seguinte por um tour mais longo. Fiquei com a impressão que eu fui a mais generosa com o Paul, pois ele não parou de me agradecer, ainda mais depois de uma cerveja grega que tomamos juntos, com direito a vista para a Acrópole, para finalizar o tour com chave de ouro…rs

Vi agora no site que eles também tem tour em espanhol, mas o endereço de email é outro. Caso tenham interesse: info@athensfreewalkingtour.com

Porque não contratou guias que falam português como fez na Turquia?

Todos os guias brasileiros que moram na Grécia ou que são de outra nacionalidade e falam português tinha o preço superior ao cobrado pela Mariza e com uma recepção ao email que não curti. Muito comercial e pouco pessoal. Pra quem está disposto a cobrar mais de EUR 150 pelo tour em dias de crise lá e cá, tem que ter a obrigação de tratar a gente bem.

Queridos leitores, caso saibam de um guia que fale bem português e queira indicar, fiquem a vontade. Só farei o bate com os que contactei a época para manter a minha linha de raciocínio e reputação…rs

Recados da Flor –

1 – Assim como em Santiago do Chile, em Atenas há muitos cachorros pelas ruas. Todos muito bem cuidados pelo povo grego;

2 – Há um passe que te dará direito a vários pontos turísticos e locais históricos. Com um único passe, poderá ir a Acrópole e o Templo de Zeus, por exemplo;

3 – Os preços mencionados neste post podem ter sofrido alterações, pois fui a Atenas há um certo tempo;

4 – Se tiverem a curiosidade de ler os meus diários de bordo em Atenas e nas ilhas gregas enquanto não escrevo todos os posts, aqui vão dois dias que passei na capital grega:

Primeiro dia de Grécia – Atenas
Segundo dia de Grécia – Atenas

Escrevi um texto longo, mas com todo carinho, pois sou uma completa apaixonada pela Grécia e pelo seu povo 😉

Quer dicas de que praias ir nas ilhas gregas de Mykonos, Santorini e Paros também?

Escrevi recentemente sobre nestes posts do blog:

Praias de Mykonos
Praias de Santorini
Praias de Paros

                                                                                 *******************

Gostou da dica? Precisa reservar seu hotel ou hostel? Sabia que você pode reservar sua hospedagem no Booking aqui no blog (via este link do Booking), sem qualquer custo adicional para você, mas que ajudará na monetização do conteúdo deste blog, através de uma pequena comissão, que cobre em partes os custos de sua manutenção e proporciona que eu viaje cada vez mais, trazendo cada vez mais estas e outras informações bacanas e úteis para vocês.

Gostou das dicas? Seja mais um leitor parceiro e nos pague um café!

Se esta dica for útil a você, retribua a gentileza e ajude a gente também! Cada vez que você reserva um produto por algum dos links abaixo, recebemos uma pequena comissão que ajuda a monetizar esta plataforma e a atualizar nosso conteúdo com várias dicas bacanas e úteis a você, sem que tenha que pagar nada a mais por isso. Caso tenha que cancelar a reserva por ter encontrado um preço melhor no Booking.com ou em outro parceiro, entre novamente no link de hospedagem abaixo para fazer a transação, já que o site de hospedagem desconsidera a comissão pra gente quando ocorre o cancelamento e é feita uma nova reserva. Muito obrigada ;-)