O que fazer e quantos dias ficar em Santorini?
11/05/2016 6 comentários

O que fazer e quantos dias ficar em Santorini?

A ilha grega de Santorini é, sem sombra de dúvida, a mais exótica das Cíclades quando o quesito é beleza natural. E, este é um dos motivos pelo qual é a mais visitada por diferentes tipos de turistas de todo mundo.

Para quem fizer a rota aonde Santorini não for a primeira ilha a ser visitada na Grécia, se assustará com a grande quantidade de asiáticos fazendo filas indianas para tirar fotos nos principais pontos turísticos e praias, além da quantidade de pessoas de todas as nacionalidades se debatendo para terem a melhor foto do por do sol em Oía.

Apesar destes pequenos perrengues, Santorini é um dos must see na Grécia, pois além de belíssima, exótica e única, tem uma história importante e triste de Segunda Guerra Mundial, sendo o turismo na ilha um senhor de aproximadamente quarenta e cinco anos, responsável pela reconstrução de sua identidade e de sua dignidade pelos seus simpáticos e queridos habitantes.

Além de Mykonos, muitos brasileiros também colocam em sua rota Santorini, pelo fato de ser uma das ilhas gregas mais faladas e com mais relatos na internet, mas a maior dúvida que paira no ar sempre será o que fazer e quantos dias ficar em Santorini.

Para ajudar vocês com eventuais dúvidas e questionamentos sobre o tema, preparei este post para facilitar o seu planejamento.

O que fazer?

1 – Visite suas praias

O que muitos viajantes não sabem sobre a ilha, até dar a primeira “googlada”, é que suas praias tem faixa de areia de diferentes cores e totalmente fora do nosso convencional. A exemplo do que disse no outro post de Santorini, nunca imaginaria que a minha praia predileta em uma ilha grega teria areias negras.

 

Entre as praias que recomendo estão: Vlychada (a minha queridinha); o conjunto Red Beach, White Beach and Black Beach (que podem ser conhecidas em uma tacada só em passeio de barco) e Kamari (cheia de restaurantes e agito).

Fiz um relato com as características e dicas das minhas praias preferidas em Santorini que podem ser acessadas através deste link -> Praias de Santorini

2 – Veja todos os seus pores do sol

Além das praias, ir a Santorini e não ver todos os pores do sol que tenha oportunidade será um sacrilégio. O mais famoso e mais belo é visto no norte da ilha, em Oia, mas admirar também os pores do sol que se formam a sua frente quando estiver às margens da famosa caldeira não é nada mal.

Algumas dicas para você não passar perrengue e se frustar:

a) se decidir ver o por do sol em Oia de carro, muito cuidado na estrada, pois é extremamente sinuosa e com penhasco. Além destes perrengues “naturais”, digamos assim, não se esqueça que o povo é muito festeiro (bebe muito) e apressadinho por lá, podendo te colocar uma bela pressão na estrada para agilizar com o carro;

b) Se for de excursão, de carro ou de transporte público, tente chegar o mais cedo possível. Durante o verão, o sol costuma se por lá pelas 21 horas, mas atente-se ao correto horário no dia. O bacana é chegar cedo e fazer uma refeição ou um happy hour em um dos bares e restaurantes de Oia na extrema ponta, região do Castelo Antigo.

Se chegar por lá às 18 horas, pode ser que não tenha mais lugar nestes estabelecimentos e que você tenha que se debater com os outros turistas para encontrar um bom em frente ao sol, literalmente.

c) tente dormir uma noite em Oia, para poder ver o por do sol de um de seus hotéis e degustar um belíssimo jantar sem pressa e sem pânico.

d) Dica da Flor: se quiser ver o por do sol de forma sossegada, passe a multidão e vá mais para o canto possível. Dali, você verá, fotografará e fará pose com o por do sol, sem o tumulto de Oia.

e) em Thira (Fira – capital da ilha) é muito mais fácil achar um local para ver o por do sol, mas os restaurantes e bares mais badalados e que têm as melhores vistas também lotam rapidamente.

e) há passeios de barco super românticos que podem ser feitos e que estarão exatamente em Oia no momento do por sol. Muitas pessoas reclamam que são absurdamente caros, mas cá pra nós…você está na Grécia, vendo um dos pores do sol mais famosos e belos do mundo. Vai economizar um momento priceless destes pra que?

f) muitas pessoas vão de quadriciclo a Oia, mas não se esqueça que, caso não esteja hospedado por lá, terá que retornar no escuro, podendo ser perigoso.

3 – Escale o vulcão 

Ainda ativo e com erupção prevista a cada quatrocentos anos, o vulcão de Santorini é o grande responsável pela atual geografia da ilha, já que fora dividida em cinco partes, logo após a sua primeira e violenta erupção.

O vulcão também é responsável direto pelas diferentes cores das praias e demais acidentes naturais únicos, já que as cores e formatos tem interferência direta da quantidade de larva que atingiu cada parte da ilha.

Atualmente, é possível escalar o vulcão em uma caminhada íngreme de pouco mais de 1 km e, que variará entre trinta e quarenta minutos. Se fizer este passeio no alto verão como eu fiz, leve um tênis ou chinelo de sola resistente, pois o solo é quente e há uma porção de rochas, areais e larvas pelo caminho.

Para chegar ao vulcão é necessário escolher entre uma das opções de passeio de barco disponíveis em seu hotel. O barco atracará em um local específico para que você possa fazer a escalada.

Para subir, também é necessário pagar uma taxa de EUR 2, para manutenção do local.

4 – Nade em Hot Springs

Que tal nadar bem próximo ao vulcão em águas quentíssimas? Para quem nunca ouviu falar, Hot Springs é uma espécie de baía aonde as águas podem chegar a temperatura de 38 graus. Tudo isso porque essa região é bem próxima ao vulcão.

Para desfrutar de toda esta quentura é necessário nadar além de onde o barco atracar. Quando mais perto da faixa estreita e próximo ao vulcão você for, mais quente será a temperatura da água. Como fui no verão, longe da faixa estreita, a temperatura é morna, mas dá para dar aquela refrescada depois da subida até a cratera do vulcão.

Vale ainda dizer que as águas de Hot Springs são medicinais, fazendo muito bem a saúde. Mas nada por lá deve ser por tempo limitado, em função de todas as propriedades que aquelas águas possuem.

5 – Conheça Thirasia

A ilha de Thirasia foi formada de uma das cinco partes, da então ilha de Santorini, que se separaram quando da primeira e avassaladora erupção do vulcão.

Muito menor que Santorini, Thirasia remete-se àquelas típicas ilhas gregas menos frequentadas pelos turistas de todas as partes do globo. Lá me senti mais na Grécia que em Santorini, em função do charmoso e simpático vilarejo e das famosas tavernas rústicas com comida muito saborosa. Pena que o passeio que lá nos leva dura apenas singelas duas horas.

Para quem tiver disposição e condicionamento físico, sugiro que suba as centenas de degraus para chegar ao seu topo e admirar a vista panorâmica que tem de lá. Agora, para quem quer aproveitar a praia, precisa preparar o bumbum para sentar e os pés para chegar até o mar, pois a praia é formada por pedras (escorregadias e quentes) de todos os tamanhos e cores, sendo necessários uma boa toalha de praia e um par de chinelos para entrar na água, respectivamente.

6 – Conheça suas vinícolas

Muita gente não sabe, mas os vinhos e queijos de Santorini tem além de fama internacional, qualidade de safra. As vinícolas em sua grande maioria são de propriedade de pequenos empresários e possuem opções de visitação, degustação e harmonização.

Se tiver a oportunidade de ir a vinícola Santo Wines perto da hora do por do sol, não se arrependerá. Olha só o visual que se tem de lá, com direito ao cheirinho da uva e de um bom vinho grego, claro…

7 – Visite os demais vilarejos, além de Oia e Thira (Fira)

Santorini tem vários lugares únicos ao longo de sua extensão que valem ser visitados e explorados cada uma de suas esquinas. Neles, você encontrará um lado menos turístico e todo o encanto e simpatia do povo grego.

Ademais, são nestes pequenos vilarejos que você pode comprar produtos típicos gregos de pequenos produtores. Tudo muito fresquinho e saboroso, como de costume em uma ilha grega.

8 – Visite Akrotin (Acrotiri)

Sítio arqueológico da cidade de Akrotiri, que foi totalmente tomada pelas larvas do vulcão Tera no segundo milênio a.C.. Não pude conhecê-lo na época que fui, pois estava fechado para visitação devido a um incidente ocorrido com um turista.

9 – Perca-se nas ruas de Thira (Fira) 

Capital da ilha de Santorini, Thira (Fira) tem uma infinidade de lojas, bares e restaurantes para você olhar com calma e se perder pelos seus labirintos. A ordem aqui é não ter pressa e curtir o espírito da ilha.

A única coisa que não recomendo é comprar os chinelos Havaianas com a bandeira grega. Além de ser uma fortuna, a qualidade não é tão boa quanto as nossas Havaianas. Lembro que paguei EUR 30 por um par delas porque via no pé de tudo e fique com vontade, mas me arrependi…rs

10 – Como planejar o roteiro de viagem a Santorini 

Faça passeios combo para ganhar tempo e não alugar carro todos os dias

Devido a grande variedade de coisas para fazer em Santorini, recomendo planejar o seu roteiro de viagem da seguinte forma:

a) reserve os dois primeiros dias para fazer passeios de barco ou com excursão para economizar no aluguel do carro ou da scooter.

b) em um dos dias escolha o passeio de barco que faz a escalada no vulcão, Hot Springs e Thirasia no mesmo passeio. É um passeio de quase dia todo e que ao velajar, de lambuja ainda verá lá de longe Oia (Ia) e Thira (Fira) no topo das montanhas, parecendo até floquinhos de neve.

Antes de fechar o passeio, atente-se se o transfer ida e volta ao porto está incluso. Para chegar a Old Port é perrengue, pois a estrada é perigosa, muito íngreme e estreita. Nem pensar em ir até lá de scooter, pois seria um ato de extrema burrice e imprudência. Se você optar em ir de carro, será um ato de coragem, pois não é fácil dirigir por ali quem não tem prática com a estrada.

c) em outro dia, faça o passeio que leva aos vilarejos, vinícolas e, de quebra ao por do sol em Oia. O bacana de ir com a galera é que você conhece com mais detalhes a história da ilha e não precisa ir até Oia de carro.

d) reserve mais três dias para conhecer com calma e desfrutar das praias e dos vilarejos. A partir deste momento é bacana alugar o carro ou a scooter para fazer as coisas no seu tempo e de forma independente.

Quantos dias ficar em Santorini?

O ideal é ficar pelo menos quatro dias inteiros para conhecer a ilha. Muitas pessoas acabam ficando três dias, contando a chegada e a partida, mas eu não recomendo, pois há muito o que ver em Santorini. De novo bato na tecla de que, é muito gasto e perrengue pra chegar e ficar super pouco só para falar que conheceu.

Onde ficar em Santorini?

Recomendo que separe uma noite para ficar em Oia, de preferência em um hotel que tenha vista para a caldeira para que você possa admirar o por do sol diretamente de lá. Os outros dias, fique próximo a Thira (Fira) que é capital e burburinho da ilha.

Me hospedei no El Greco Resort & Spa , que é uma graça e muito perto da vila de Thira (Fira), indo e vindo dos jantares e das andanças em cinco minutos a pé.

Mini piscina em frente ao meu quarto

Muitas pessoas ficam em Perissa pelo fato de ser mais barato, mas não tem muita coisa próxima, sendo que o barato pode sair caro, principalmente quando o assunto for tempo de locomoção.

Onde comer em Santorini?

Come-se muito bem em qualquer canto da ilha. Os restaurantes de Oia tem um quê a mais em função do por sol, enquanto que os restaurantes de Thira (Fira) tem um quê a mais em função da vista diferente para a caldeira.

Muito se fala do Ambrosia e do 1800, mas eu preferi fugir deste convencional e fui explorar outros lugares mais simples ou menos caros, mas com o sabor arrebatador como é esperado se ter em Santorini. Não tem como comer mal por lá, nem naquela cafeteria super simples, escondida no cantinho de algum lugar ou de algum vilarejo. Vai na minha…

Dicas adicionais e importantes para quem for a Santorini

Veja se o transfer do porto ou do aeroporto até o hotel está incluso – cheguei em Santorini de ferry e saí de avião e tive os dois tipos de transfer inclusos na minha diária de hotel, entretanto, lembro que enquanto esperava o meu transfer de chegada, havia um verdadeiro comércio de carros e taxistas que faziam de tudo para te levar para o hotel.

Caso você tenha que pegar um taxi até o seu hotel, negocie o preço, pois muitas vezes o preço pode não ser justo e a conta sair cara, já que as opções de locomoção serão escassas.

A exemplo de Mykonos, cuidado nas estradas e com os motoristas – algumas partes da ilha possuem estradas muito estreitas e extremamente íngrime. Toda a prudência será bem vinda.

Alugue um carro com antecedência – é essencial para não entrar em uma cilada. De preferência, alugue um carro conversível para sentir os ares da ilha e o sol batendo no lombo, além de ser muito mais glamouroso a um preço nem tão mais alto assim (paguei EUR 50, a diária frente a 60, em Mykonos).

Não recomendo alugar uma scooter (confira antes a sua classe na carteira de motorista) pelo fato das estradas serem íngremes e sinuosas, além de ventar muito em Santorini, o que pode causar ausência de estabilidade. Muitos vão achar que isso é besteira e que não há perrengue, mas cada um com seu cada um. Prezo o meu conforto e a minha segurança.

Muitos optam em não alugar carro ou scooter e fazer tudo de táxi ou transporte público. Tal opção é arriscada, pois dependendo de onde se hospedar o barato poderá sair caro.

É muito comum usar jegue como meio de transporte na ilha, principalmente nos picos mais altos de escalada de degraus. Eu, particularmente sou contra, apesar de ser costume. Desta forma, fico com a lembrança do jegue de mentirinha na memória.

Se caso você chegar de ferry ou for a Old Port, não se assuste com o tamanho da montanha que encontrará pela frente. É algo surreal e que nunca esquecerei. Depois do primeiro impacto com o tamanho da montanha, sempre virá a pergunta, será que o carro sobe a montanha. E a resposta sempre será: Sobe, ô se sobe, principalmente se o motorista for grego…rs!

A foto não está tão legível, mas é a que melhor representa as curvas.
A grande maioria dos gregos fala inglês fluente. Não se preocupe com a comunicação com eles, caso fale inglês. A única coisa que terá que é se atentar é se caso começarem a falar “Parakalo Parakalo” que significa cuidado ou perigo a vista. Se falarem só “Parakalo”, uma vez somente. é obrigada em grego; Pode ficar tranquilo.
Em geral, Santorini é mais barata que Mykonos nos quesitos bens de consumo e gastronomia.

Curiosidade – Você sabe porque as casas são brancas com o topo pintados de azul?

Na verdade as casas brancas com o topo pintado de azul são igrejas. Há mais de quinhentas igrejas em toda a ilha. Tal número expressivo não é em função do credo do povo, mas sim porque como as igrejas são isentas de impostos, muitas famílias acabaram construindo suas casas como se fossem igrejas com cúpulas.

Em muitas delas não se pode entrar, pois os gregos dizem que a igreja e propriedade é para uso exclusivo da família que ali mora. É mole?

Quer dicas do que fazer em Atenas e em Mykonos, de quais praias ir em Mykonos, Santorini e em Paros e de como chegar às ilhas gregas?

Escrevi recentemente sobre nestes posts do blog:

O que fazer em Atenas?
O que fazer e quantos dias ficar em Mykonos?

Praias de Mykonos
Praias de Santorini
Praias de Paros

Como chegar às ilhas gregas?

Gostou da dica? Seja mais um leitor parceiro e ajude a gente também! 

Precisa reservar seu hotel ou hostel? Se você reservar sua hospedagem aqui no blog (através deste link do Booking) ou qualquer outro serviço através destes links de comparativo de seguro viagem, chip internacional de celular ou aluguel de carro sem IOF, além de não te custar nada a mais, ajudará na monetização do conteúdo, através de uma pequena comissão que receberemos.

Isto fará com que sejam cobertos, em partes, os custos de manutenção e proporcionará que viajemos cada vez mais, trazendo cada vez mais estas e outras informações bacanas e úteis.

 

Gostou das dicas? Seja mais um leitor parceiro e nos pague um café!

Se esta dica for útil a você, retribua a gentileza e ajude a gente também! Cada vez que você reserva um produto por algum dos links abaixo, recebemos uma pequena comissão que ajuda a monetizar esta plataforma e a atualizar nosso conteúdo com várias dicas bacanas e úteis a você, sem que tenha que pagar nada a mais por isso. Caso tenha que cancelar a reserva por ter encontrado um preço melhor no Booking.com ou em outro parceiro, entre novamente no link de hospedagem abaixo para fazer a transação, já que o site de hospedagem desconsidera a comissão pra gente quando ocorre o cancelamento e é feita uma nova reserva. Muito obrigada ;-)