Guaíba, cidade berço da Revolução Farroupilha – o que fazer e onde comer?
06/09/2016 6 comentários

Guaíba, cidade berço da Revolução Farroupilha – o que fazer e onde comer?

Leitores gaúchos ou apaixonados pelo Rio Grande do Sul, como eu, preparem-se. A partir de agora, começarei a série de relatos sobre as dezesseis cidades gaúchas que visitei durante a Rota do Caminho Farroupilha.

Como boa virginiana que sou, organizei a ordem das postagens de acordo com o roteiro que fizemos, saindo e chegando de Porto Alegre, com informações históricas e dicas do que fazer, onde ficar e onde comer nas diversas cidades, de acordo com a nossa experiência. Notarão que muitas cidades não terão todos os tópicos, até mesmo porque não houve ou a parada para comer ou a parada para dormir etc.
Para começar, o tema de hoje é Guaíba, cidade considerada berço da Revolução Farroupilha.

Guaíba e a Revolução Farroupilha

O planejamento e estratégias que deram início a revolução foram cuidadosamente arquitetadas sob a sombra do bicentenário cipreste da antiga sesmaria de Antônio Ferreira Leitão, sogro de Gomes Jardim.
Os dez anos da Revolução Farroupilha teve como seu ponto de partida a tomada em 1835 da província Porto Alegre, através da invasão bem sucedida via Rio Guaíba, liderada por Gomes Jardim e Onofre Piresque.

Após ganhar tal batalha e com a prisão de Bento Gonçalves no Rio de Janeiro, o então vice presidente, Gomes Jardim, torna-se o primeiro presidente da República Rio Grandense.

O que fazer?
 
1 – Conhecer a cidade e sua história de jardineira

A Prefeitura de Guaíba criou uma linha de ônibus que passa pelos principais pontos turísticos da cidade. O passeio tem duração de uma hora e é feito com um guia de turismo que, ao longo do percurso conta a história da cidade e suas curiosidades.O charme do passeio é o ônibus em si. Feito em uma jardineira bem graciosa, com vários apetrechos ao fundo para o turista se divertir ao longo do passeio.

 

Lembro que no dia que fiz o passeio, achei o máximo a guia estar vestida de prenda e não resisti. Perguntei se poderia me vestir de prenda também e ela, muito solicita, trocou de roupa (sem eu saber) enquanto estávamos visitando a Casa de Gomes Jardim só para que eu pudesse utilizar um traje de época.

O pessoal da Secretaria de Turismo gostou tanto da brincadeira e interação que a ideia é muito em breve deixar algumas roupas de época no fundo da jardineira para que os turistas possam ter a mesma experiência que tive.

Terça a domingo – entre 10:30 e 16:30
Valor – R$ 7, (dias de semana) e R$ 8, (sábado, domingo e feriados)
Onde: em frente a Hidroviária de Guaíba

2 – Visitar a Casa de Gomes Jardim
 
Parte integrante da Estância Pedras Brancas, a histórica casa de Gomes Jardim datada do século XVIII, foi palco do planejamento da revolução pelo fato de ter vista privilegiada de todos os movimentos e ações dos imperialistas do outro lado do Rio Guaíba, o que facilitou a tomada de Porto Alegre.

A casa também foi local de falecimento de Bento Gonçalves, que procurou o amigo médico e revolucionário Gomes Jardim para se tratar em seus dias finais de vida.

Atualmente é considerada Patrimônio Cultural dos Gaúchos e pode ser visitada pelos turistas, que serão recebidos pelos seus simpáticos e atuais donos, que contarão a história e importância da casa no contexto da revolução.

 

 

E que não nos deixarão ir embora sem antes comer um bolinho de chuva e tomar um cházinho.

Valor da visitação: R$ 3,00

Endereço: Rua Quatorze de Outubro, 370

Telefone: (051) 3480 1159

3 – Tirar foto no Cipreste histórico

Literalmente localizado em frente a casa de Gomes Jardim, o bicentenário cipreste era um dos locais privilegiados na Estância Pedras Brancas onde os líderes farroupilhas se reuniam para acompanhar o movimento dos imperialistas e traçar as suas estratégias de invasão, conforme escrito acima.
4 – Vitrine Cultural

Com o objetivo de conservar, divulgar e promover atrativos culturais e históricos de Guaíba e arredores, a Vitrine Cultural conta com dois distintos espaços de exposições. Um destes espaços é permanente e conta a história do início da Revolução Farroupilha com a sua Chama (Crioula) do Milênio. Já o outro espaço é dedicado a exposição temporárias.

 

 

Muito próximo a Casa de Gomes Jardim, vale a visita. Sempre tem algo de diferente e interessante acontecendo no local, como o recital dos guris.

Terça a domingo – entre 10:30 e 17:30
Endereço: Rua Quatorze de Outubro, 313
Telefone: (051) 3403 1805

5 – Apreciar a vista de Porto Alegre através de seu mirante

No final da rua onde estão localizadas a Casa de Gomes Jardim e a Vitrine Cultural há um mirante da cidade com vista para Porto Alegre. Ali, é bacana dar uma passadela para tirar foto com a gravura símbolo da cidade berço da revolução, que tem entre as imagens, e as principais figuras históricas envolvidas.

 

6 – Passear pela orla do Guaíba

Aconchegante e com um calçadão cheio de bancos para descansar, bares e restaurantes, a orla do Guaíba é um opção para o visitante que quer dar uma voltinha a pé e sem pressa pela cidade, com vista de Porto Alegre ao fundo.
Onde comer?
Considerado um dos melhores restaurantes da cidade pelo Trip Advisor e localizado na orla, o tradicional Caisinho Choperia e Restaurante é uma excelente opção gastronômica na cidade, não só pela qualidade da comida e do atendimento, mas também pela sua agradável vista do Guaíba.

 

Com uma saborosa e extensa carta de filés, aves, peixes, camarão, massas, saladas e petiscos, o restaurante agrada o paladar até dos mais exigentes, como eu, com uma culinária leve e bem harmonizada com os acompanhamentos, que vão desde pratos clássicos a opções com um toque de boa e diversificada ousadia. Tudo cuidadosamente feito aos olhos de sua proprietária e chef responsável.

Destaque para o filé de peixe a Belle Meuniere (com camarão), arroz e batata soutè e para Salada Mediterrânea (folhas verdes, tomates , mussarela de búfala, palmito e crótons, temperada com vinagre balsâmico, azeite e gergelim) que estavam incríveis!

 

Endereço: Avenida João Pessoa, 1.240 (muito próximo a hidroviária)
Telefone: (051) 3055 6222
Horário de funcionamento: segunda a sexta – 11:30 às 14:00 e 17:00 às 23:30
sábado – 11:30 às 14:30 e 17:00 às 23:30
domingo – 11:30 às 14:30

Como chegar desde Porto Alegre?
 
Há duas formas de chegar a Guaíba desde Porto Alegre. Uma delas é via terrestre através do acesso pela estrada que liga as cidades e o outro, e mais fácil, o acesso fluvial (hidroviária).

Muitos fazem este percurso diariamente para ir e vir de seus trabalhos, mas recomendo fortemente aos que visitam Porto Alegre a atravessarem com o catamarã para conhecer um pouco mais de Guaíba.

Imperdível 

Contemplar o nascer do sol na cidade de Guaíba e o por do sol na cidade de Porto Alegre com vista para o Rio e a Cidade de Guaíba.

 

*********************

Agradecimentos ao apoio em Guaíba:

– Secretaria de Turismo de Guaíba, que deu todo suporte e organizou o nosso roteiro na cidade;
– Caisinho Choperia e Restaurante, que nos recebeu muito bem, oferecendo a cortesia do almoço;
– Casa de Gomes Jardim e Vitrine Cultural pela história e fatos contados ao nosso time.

Patrocínio e apoio:

O roteiro teve o patrocínio do escritório BCM Advogados e da Agropecuária Sallaberry , além do suporte do Sebrae Costa Doce e de algumas secretarias de turismo. A viagem usou como base o Caminho Farroupilha elaborado pelo Sebrae – RS e oferecido como pacote turístico pela Tchê Fronteira Turismo, de Bagé – RS.

O projeto Rota Farroupilha e seus envolvidos:

O projeto #RotaFarroupilha é um projeto dos blogs Territórios e As Peripécias de Uma Flor em parceria com os blogs Café Viagem e Mochilinha Gaúcha, que contou com as participações especiais do blog Andarilhos do Mundo e a jornalista Criz Azevedo.

 

Gostou das dicas? Seja mais um leitor parceiro e nos pague um café!

Se esta dica for útil a você, retribua a gentileza e ajude a gente também! Cada vez que você reserva um produto por algum dos links abaixo, recebemos uma pequena comissão que ajuda a monetizar esta plataforma e a atualizar nosso conteúdo com várias dicas bacanas e úteis a você, sem que tenha que pagar nada a mais por isso. Caso tenha que cancelar a reserva por ter encontrado um preço melhor no Booking.com ou em outro parceiro, entre novamente no link de hospedagem abaixo para fazer a transação, já que o site de hospedagem desconsidera a comissão pra gente quando ocorre o cancelamento e é feita uma nova reserva. Muito obrigada ;-)