São José do Norte – o que fazer, onde comer e ficar na cidade que termina a BR 101
11/09/2016 6 comentários

São José do Norte – o que fazer, onde comer e ficar na cidade que termina a BR 101

E depois de um dia chuvoso e frio em Rio Grande, partimos muito cedo para mais um dia de aventuras pelo Rio Grande do Sul. Era chegada a hora de conhecer a pequena e graciosa São José do Norte, seus atrativos e seu contexto no Caminho da Rota Farroupilha (#RotaFarroupilha).

Localizada a 372 quilômetros da capital Porto Alegre e considerada a maior produtora de cebola do país, que lhe rendeu até o título de Capital Nacional da Cebola, São José do Norte também é conhecida como a cidade onde termina a BR 101.

Não sabia desta informação, mas entre os títulos e características da cidade, este foi o fato que mais me marcou porque a Robertinha, que foi durante muitos verões a São José do Norte, tinha uma missão. Tirar uma foto da tal da placa com os dizeres de que ali terminava a BR 101. Procuramos, procuramos, procuramos a tal da placa, mas no final soubemos que ela não mais existe (confira o relato da Robertinha no blog Territórios e a foto da placa que foi mandada a ela por uma leitora -> Turismo lá onde a BR 101 termina).

Apesar do pitoresco fato, a forma mais fácil dos turistas e visitantes chegarem a São José do Norte é pelas águas, através da travessia de aproximadamente de trinta minutos de balsa ou lancha desde Rio Grande. Optamos por atravessar de balsa ao singelo valor de R$ 2, cada trecho. A rota rodoviária é mais utilizada por caminhões, carretas e afins.

São José do Norte e a Revolução Farroupilha

Em 16 de julho de 1840, a cidade foi palco de uma das mais sangrentas batalhas ocorridas durante a Guerra dos Farrapos. Comandadas por Bento Gonçalves, Giuseppe Garibaldi e Domingos Crescência e compostas por mil e cem homens, tropas Rio-grandenses enfrentaram tropas imperialistas comandadas pelo Coronel Antônio Soares de Paiva. Com mais de trezentos mortos, a batalha não teve um vencedor pelo fato de Bento Gonçalves ter optado por não incendiar a Villa de São José do Norte, protegendo as famílias e casas da então vila do confronto.

O Instituto Histórico e Geográfico de São José do Norte realizou a Primeira Semana em Memória ao Combate de 16 de julho de 2016 e nós estávamos lá para conferir este grande momento.

O que fazer?

Assim que fizemos a travessia de Rio Grande a São José do Norte, lá estava Alex Sandro, agente de viagens e proprietário da Laguna Sul nos aguardando para fazer um tour guiado conosco e mostrar os atrativos turísticos da cidade.

1 – Centro Histórico

Em se tratando de uma cidade rota da revolução, o centro histórico é parada obrigatória. Entre as principais atrações:

Igreja Matriz São José

Construída em 1860, a bela e Igreja Matriz da cidade é palco e alvo de belos cliques por dentro e por fora. No começo do dia, tiramos várias fotos com o tempo fechado, mas com o passar do dia, o tempo foi abrindo e pedimos para o Alex voltar conosco lá para fazermos uma foto que fizesse jus a esta belezura.

 

Casarões antigos

Alguns construídos antes da Revolução Farroupilha, os antigos casarões também são alvo de belos cliques. Uma pena muitos não terem sido restaurados, mas mesmo assim, tivemos ideia de quão bonitos e imponentes eram.

Uma lembrança que veio a cabeça quando tirei esta foto propositadamente com um pedacinho de um carro velho foi da cubana Havana, que mantem o seu charme com os casarões e prédios sem qualquer manutenção décadas a fio.

2 – Molhe Leste da Barra

Depois de uma boa caminhada às margens do Molhe Leste da Barra é possível se encantar com seus anfitriões, os leões marinhos.

Com nosso tempo estava cronometrado, não tivemos como percorrer por muitos metros, mas já deu pra ter um gostinho da beleza desta obra de engenharia e da natureza onde se encontram mar e água doce, com toneladas de pedras em mais de quatro quilômetros de extensão.

3 – Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem e Farol

Datada de 1851, a Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem fica localizada de frente para o mar para abençoar e proteger seus pescadores e navegantes.

 

Muito próximo da igreja está o Farol do Atalaia, datado de 1820 e considerado o mais antigo do Rio Grande do Sul. Muitos anos depois, em seus arredores, fora construído um novo farol.

 

 

4 – Praia do Mar Grosso

Depois que visitamos a Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem e os faróis da cidade, seguimos de carro entre as areias da Praia do Mar Grosso, a mais badalada da cidade. Apesar do forte vento e do frio, nossas câmeras foram presenteadas com dois momentos. Um bacana para fotos, mas não para o dono da embarcação.

Já o outro, um espetáculo a parte!

 

5 – Fotografe os barquinhos

Se há algo em abundância em São José do Norte são barquinhos. Um mais simpático que o outro, se tornam atração a parte.

6 – Admire o belo por do sol de dentro da balsa

Quando voltar de São José do Norte para Rio Grande, procure voltar na hora ou próximo a hora do por do sol. O visual é incrível e as cores mudam a cada minuto.

 

Nós e nossas câmeras ficaram enlouquecidas, como dizem os gaúchos 😉


Observações:

1 – Se for turistar fora do verão, somente se certifique se as atrações estarão abertas quando for para não se decepcionar. Os restaurantes praianos (não é o caso do Brisa Mar), por exemplo, fecham durante o inverno.

2 – Para fazer esta rota que fizemos é necessário carro. O Alex, agente de viagens que fez o tour conosco, é o único receptivo na cidade e eu o recomendo para quem quiser conhecer a cidade durante uma manhã ou tarde (tempo de duração do tour).

Onde comer?

Restaurante Brisa Mar

Constituído em 1973 para atender basicamente os caminhoneiros e pessoas ligadas a comercialização da cebola, servindo café, almoço e jantar, o Restaurante Brisa começou a expandir e diversificar a sua clientela aos longos dos anos, principalmente, quando criou o “Kit Frutos do Mar”, o prato mais tradicional e famoso do restaurante até os dias de hoje.

Tivemos a oportunidade de provar o tão badalado prato em nossa visita a cidade e, realmente, vale a fama que tem! É de comer pensando no próximo camarão, no próximo bolinho até que o prato fique vazio e fique aquela recordação boa no paladar.

Com um preço convidativo de R$ 60, (valor em julho de 2016) que serve muito bem três pessoas, o destaque vai para o sensacional camarão empanado (ou camarão a milanesa) que acompanhado de camarão ao bafo e a baiana, siri na casquinha, bolinho de peixe, filé de peixe a milanesa, arroz pirão e salada formam o kit.

O restaurante possui também outros pratos e porções a la carte, além de um buffet por quilo para a sua comodidade.

Aos colecionadores de plantão, uma curiosidade. No Brisa Mar há uma verdadeira coleção de cédulas antigas e atuais de vários cantos do mundo. No começo tais cédulas eram a forma de pagamento da refeição pelos marinheiros estrangeiros de passagem pela cidade. Atualmente, os proprietários recebem as cédulas fruto de doações.

Informações – Restaurante Brisa Mar:

Endereço: Rua Marechal Floriano Peixoto, 297
Telefone: (053) 3238 1420

Onde ficar?

Recomendo ter como base a Praia do Cassino, se hospedar ou no Lira Apart Hotel ou no Bellapraia Apart Hotel e fazer o “trio turístico” Rio Grande, Praia do Cassino e São José do Norte.

Neste link com o post sobre Rio Grande, maiores informações sobre a minha experiência de hospedagem. Mais para frente, farei uma post apartado sobre e atualizo por aqui. -> Rio Grande – o que fazer, onde comer e onde ficar.

********************
Agradecimento ao apoio em São José do Norte:

– A Secretaria de Turismo de São José do Norte e ao Sebrae Costa Doce, que nos deram todo suporte
– Ao agente de viagens e proprietário da Laguna Sul, Alex Sandro, que se encarregou de fazer pessoalmente o tour pela cidade conosco e nos recebeu muito bem. Para quem quiser contratar seus serviços, segue o contato:

Telefone: (053) 3238 1721
Email: lagunasulturismo@gmail.com
Fanpage: https://www.facebook.com/LagunaSul.turismo?fref=ts

– Ao restaurante Brisa Mar que nos proporcionou a cortesia do almoço.

Agradecimento aos patrocinadores da Rota Farroupilha:

O roteiro teve o patrocínio do escritório BCM Advogados e da Agropecuária Sallaberry , além do suporte do Sebrae Costa Doce e de algumas secretarias de turismo. A viagem usou como base o Caminho Farroupilha elaborado pelo Sebrae – RS e oferecido como pacote turístico pela Tchê Fronteira Turismo, de Bagé – RS.

O projeto Rota Farroupilha e seus envolvidos:O projeto #RotaFarroupilha é um projeto dos blogs Territórios e As Peripécias de Uma Flor em parceria com os blogs Café Viagem e Mochilinha Gaúcha, que contou com as participações especiais do blog Andarilhos do Mundo e a jornalista Criz Azevedo.

Gostou das dicas? Seja mais um leitor parceiro e nos pague um café!

Se esta dica for útil a você, retribua a gentileza e ajude a gente também! Cada vez que você reserva um produto por algum dos links abaixo, recebemos uma pequena comissão que ajuda a monetizar esta plataforma e a atualizar nosso conteúdo com várias dicas bacanas e úteis a você, sem que tenha que pagar nada a mais por isso. Caso tenha que cancelar a reserva por ter encontrado um preço melhor no Booking.com ou em outro parceiro, entre novamente no link de hospedagem abaixo para fazer a transação, já que o site de hospedagem desconsidera a comissão pra gente quando ocorre o cancelamento e é feita uma nova reserva. Muito obrigada ;-)