Valle de La Luna, de La Muerte e Pedra Coyote em uma tarde no Deserto do Atacama

Valle de La Luna, de La Muerte e Pedra Coyote em uma tarde no Deserto do Atacama

Além de Piedras Rojas, outro tour que é bastante procurado pelos viajantes que vão ao Atacama é o que leva ao Valle de La Luna, Valle de La Muerte e Pedra Coyote.

Na lista daqueles passeios que tudo mundo faz e que não há trekking, emoção e, sim, muita contemplação da beleza do deserto mais árido do mundo, prepare-se para ver muita gente por aqui, principalmente, na famosa Pedra Coyote.

 

Há algumas agências que fazem trilha em parte desta rota, há alguns viajantes que chegam ao Valle de La Muerte a pé e que até optam em ir ao Valle de La Luna e de La Muerte de bike, mas esta não foi a minha experiência. Fiz tudo no sobe e desce da van, com muita comodidade e aconchego, merecidos depois de tantos dias de trilha.

Como acontece o tour?

1 – Vale da La Luna

Localizado a cerca de dez quilometros do centro de San Pedro de Atacama está o Valle de La Luna, que tem este nome pelo solo ser muito similar ao encontrado na Lua. Alguns dizem até que o local foi ponto de partida de algumas naves não tripuladas enviadas pela NASA a Lua, mas não sei até onde isso é uma verdade absoluta. O que sei é que sua mistura sal, terra, formações rochosas e ação do vento faz com que o local seja mais um daqueles cenários únicos do Atacama.

Três Marias

A primeira parada é em Três Marias, um conjunto de esculturas feitas pela natureza com a ação do vento e do tempo e que lembram (daquele jeito) a posição de mulheres em oração.

Por causa de um cidadão (literalmente) sem noção uma “das Marias” do trio não existe mais. É que o ser de luz a escalou e a destruiu. A nacionalidade do turista é mantida em sigilo e é apontada dependendo da nacionalidade dos turistas que visitam a atração. Lembro que o guia me falou que foi um americano. Já para os mexicanos, eles dizem que foi um argentino, e por aí vai…

O que me chamou atenção além desta questão é que em frente as esculturas há uma espécie de círculo. Perguntei ao guia o que era e ele me disse que era o local em que as antigas civilizações colocavam oferendas pedindo e agradecendo as Marias pelas conquistas. O ponto é que neste recinto não há uma proteção ou sinalização pedindo para não pisar por se tratar um local sagrado para o povo atacamenho. – Bom, meus leitores que forem pra lá, por favor! Nada de pisar no círculo…rs

Moradias e formações rochosas

Visto e tirado foto das Três (Duas) Marias, partimos para uma breve e leve caminhada até uma parte mais elevada onde é possível visitar algumas das antigas moradias feitas com pedra e sal, além de formações rochosas esculpidas também com a ação do vento e do tempo.

 

Andando mais um pouco, avistamos a imensidão do vale e os efeitos da erosão e suas misturas.

 

 

 

Antes de seguirmos para a famosa Pedra Coyote, pausa para foto em outra escultura formada naturalmente. Desta vez, representando toda paz e positividade.

Pedra Coyote

A principal atração do tour é certamente a Pedra Coyote. O que não te contam com antecedência é que tem que se preparar psicologicamente para enfrentar a fila surreal que existe para tirar foto naquela ponta que dá sensação infinita para a Cordilheira de la Sal.

O povo fica tão enlouquecido que fura fila, xinga quem demora um pouco mais e afins. Com isso, a gente acaba não ficando muito a vontade para tirar todas as fotos que gostaríamos. Torço para que o dia que foram visitar esteja mais tranquilo e que não tenha nenhum ser de luz azucrinando a sua orelha tampouco acelerando a turma para que ele possa ficar mais tempo na atração turística.

Valle de La Muerte

Seguimos para última parada do tour. Alguns dizem que o Valle de La Muerte na verdade deveria de ser de Valle de La Marte para casar com o Valle de La Luna, mas alguns não entendiam Marte e acabou ficando Muerte.

Por ali, a gente sente um pouco de medo de chegar e sair de van porque o caminho é muito estreito. O guia faz até questão de brincar e passar bem rente ao abismo só pra nos apavorar, mas claro que nada acontece…rs – Naquele momento, pensei: certeza que esta história de Marte casar com Lua não é conversa?

Para vocês terem ideia, aquele ponto preto e rosa na foto sou eu…

Teorias da conspiração a parte, enquanto nosso guia preparava nosso coquetel, o sol começava a se por em mais um daqueles cenários incríveis do Atacama.

E por ali ficamos com nossa taça de vinho, um forte e gelado vento do inverno e alguns quitutes admirando e registrando a emoção de ver mais um espetáculo da natureza.

Com qual agência fazer o tour e os motivos?

– Serviço personalizado:

A agência da Flávia é conhecida no destino pela personalização dos serviços prestados aos seus clientes. Além de se preocupar com a qualidade, o bem estar dos hóspedes e o conforto são itens primordiais.
– Desconto aos leitores do blog:
 

Adicionalmente, a boa notícia é que leitores do blog que forem ao Atacama, poderão contar com desconto de 10% (não há comissão para o blog, o que gera independência na indicação) nos passeios fechados com a agência, bem como, fazer o pagamento de seus passeios em reais, diretamente na conta que a Flávia possui no Brasil. Uma belezura 😉

 
 
Contatos da Flávia Bia Expediciones, valor do tour, duração e altitude

Website, contemplando todos os passeios e informações: http://www.flaviabiaexpediciones.com/

Email de contato: contato@flaviabiaexpediciones.com
Endereço (no vilarejo): Callejón Reales 402 B, São Pedro de Atacama
Telefone celular e Whatsapp: + 569 4251 7683
Instagram, com várias fotos e vídeos: @flaviabia_expediciones
Valor do tour: $ 30.000 (pesos chilenos em 06/ de 2016) + $ 4.000 em espécie para entrada em Valle de La Luna ($ 3.000) e de La Muerte ($ 1.000).
Duração: Reserve o período da tarde (ida, tour e volta ao hotel)
Altitude: 2.500 metros do nível do mar
Vestimenta: Verão – camisa, bermuda, tenis de trekking, óculos escuros e protetor solar
                    Inverno – calça e blusa segunda pele, corta vento, tenis de trekking, óculos escuros e protetor solar
Leia também outros posts do Atacama e do Salar de Uyuni – Atacama – dicas práticas e úteis para ler antes de ir
Atacama – onde ficar aliando luxo e hospitalidade


Considerações finais – 

Nosso projeto contou com o apoio e parceria da Flavia Bia Expediciones, sendo que o relato acima foi escrito de forma totalmente independente pela autora deste blog.

Para quem quiser ver mais fotos e fatos da nossa viagem ao Atacama, basta procurar nas redes sociais pela hashtag #JustFunChile . O projeto criado pelo Peripécias juntamente com o blog Territórios e em parceria com o Guia Mundo Afora. Para quem quiser ter acesso a outras percepções da mesma viagem, confira também os relatos e vídeos feitos pelas meninas em seus respectivos blogs.

                                                                           *******************
Gostou da dica? Saiba que você pode reservar sua hospedagem aqui no blog (através deste link do Booking), sem qualquer custo adicional, ajudando na monetização do conteúdo deste blog, através de uma pequena comissão, que cobre em partes os custos de sua manutenção e proporciona que eu viaje cada vez mais, trazendo cada vez mais estas e outras informações bacanas e úteis para vocês.
 
 

 

Gostou das dicas? Seja mais um leitor parceiro e nos pague um café!

Se esta dica for útil a você, retribua a gentileza e ajude a gente também! Cada vez que você reserva um produto por algum dos links abaixo, recebemos uma pequena comissão que ajuda a monetizar esta plataforma e a atualizar nosso conteúdo com várias dicas bacanas e úteis a você, sem que tenha que pagar nada a mais por isso. Caso tenha que cancelar a reserva por ter encontrado um preço melhor no Booking.com ou em outro parceiro, entre novamente no link de hospedagem abaixo para fazer a transação, já que o site de hospedagem desconsidera a comissão pra gente quando ocorre o cancelamento e é feita uma nova reserva. Muito obrigada ;-)