Pagar com dinheiro ou cartão, o que vale mais a pena?

Pagar com dinheiro ou cartão, o que vale mais a pena?

Pagar com dinheiro ou cartão? Se essa pergunta me fosse feita em meados de 2016, dado que os preços são iguais tanto para pagamento em dinheiro quanto no cartão, eu com certeza responderia que é muito mais vantajoso pagar com cartão, seja ele de débito ou crédito do que pagar com dinheiro. Entretanto a realidade não é mais essa.

No dia 31 de maio (última quarta feira), foi aprovada no Plenário do Senado, a medida provisória (MP) 764/2016 que dá o direito aos comerciantes cobrarem diferentes preços para pagamento em cartão ou dinheiro (falta ainda a sanção do presidente em exercício).

Os senadores que aprovaram essa MP defendem que ela é benéfica tanto para os comerciantes quanto para os consumidores, tento em vista que pode estimular descontos para compras feitas em dinheiro, entretanto, infelizmente, sabemos que no Brasil as coisas não funcionam assim.

No meu ponto de vista, caso o projeto seja sancionado pelo presidente, muitos comerciantes manterão os preços já praticados para pagamento em dinheiro e aumentarão os preços caso o consumidor queira pagar com cartão, criando uma “falsa” sensação de que ocorreu um desconto. Claro que alguns comerciantes realmente darão o desconto, mas sabemos que no país que vivemos, quem sempre “paga o pato” é o consumidor final.

Mas e aí Fon, pagar com cartão ou dinheiro?

Primeiro ponto que eu colocar é que com a grande facilidade de utilização do cartão, poucas pessoas andam com o dinheiro vivo hoje em dia, realizando maior parte dos pagamentos em cartão. Se essa MP 764 for sancionada, o consumidor teria que voltar a ter mais dinheiro no bolso, o que poderá aumentar o número de assaltos.

O segundo ponto que quero destacar é que não deve-se generalizar se é melhor o pagamento em dinheiro ou cartão, mas cada caso deve ser analisado separadamente. O consumidor e investidor precisa ter a consciência e analisar se o desconto oferecido pelo comerciante é superior a rentabilidade que esse teria caso mantivesse o dinheiro aplicado em seu investimento. Para entender melhor, vamos a um exemplo bem simples.

Vamos supor que você deseja comprar um ventilador que custa R$79,90 no cartão em uma vez ou R$78,00 no dinheiro. Ao analisar essa proposta, o cliente está tendo um desconto de aproximadamente 2,30% no preço, caso compre em dinheiro. O investidor sensato precisa pensar e identificar se a o investimento dele vai possibilitar um ganho superior a 2,30% até a data do pagamento do cartão, caso ele opte pelo pagamento com cartão.

Se o investidor analisar e verificar que compensa pagar com cartão e que o seu investimento terá uma rentabilidade superior a 2,30% (nesse caso), deve optar pelo pagamento com cartão, se não deve pagar com dinheiro.

Sendo assim, para que o cliente tome a decisão correta entre dinheiro ou cartão é necessário ter um bom conhecimento da rentabilidade dos seus investimentos para que possa fazer o cálculo corretamente e tomar a decisão que te traga mais benefícios.

Tem alguma duvida? Comenta aqui embaixo 🙂

Crédito da imagem de capa: https://pixabay.com/p-401076/?no_redirect

 

Seja um leitor parceiro! Faça suas reservas aqui pelo blog

Se esta dica for útil a você, retribua a gentileza e ajude a gente também! Cada vez que você reserva um produto por algum dos links abaixo, recebemos uma pequena comissão que ajuda a monetizar e a atualizar nosso conteúdo, sem você ter que pagar nada a mais por isso.