Previdência privada: VGBL x PGBL, qual aderir?

Previdência privada: VGBL x PGBL, qual aderir?

A previdência privada é um investimento que tem como objetivo complementar a renda durante a aposentadoria e não está ligada ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Esse investimento se divide em dois tipos: VGBL e PGBL. A sigla VGBL significa Vida Geradora de Beneficio Livre enquanto o PGBL é o Plano Gerador de Benefício Livre. Você sabe quais as características de cada tipo e qual compensa mais?

Características

PGBL: O Plano Gerador de Benefício Livre é indicado para pessoas que retém o IRPF em sua declaração anual completa, pois é possível fazer a dedução da base em até 12%. Vamos supor que você declara que recebeu R$100.000, no ano. Deste valor, poderá deduzir até R$12.000, que serão isentos de imposto, ficando um valor líquido de base de R$88.000,. – Tal benefício e dedução é válido somente para quem opta pela declaração de IRPF completa.

Infelizmente, no plano PGBL o imposto incide sob o valor total da aplicação, ou seja, o montante principal mais juros gerados durante a aplicação.

VGBL: O Vida Geradora de Beneficio Livre diferente do PGBL não possui a liberdade de deduzir os 12% no imposto de renda, entretanto, tal tributação incide apenas sob os juros acumulados durante toda a aplicação.

Esse tipo é indicado para pessoas que não tem que declarar o IRPF ou até mesmo para aqueles que declaram, mas que optam pela declaração simplificada.

Tributação

A tributação é a parte mais importante na hora da escolha do seu plano previdenciário. Vale ressaltar que a tributação só ocorre no resgate. Escolhido um dos planos acima, você pode escolher também entre dois tipos de tributação: regressiva ou progressiva.

A tributação regressiva é indicada para quem têm objetivos a longo prazo, tendo em vista que ela se inicia com uma alíquota de 35% e pode chegar até 10%. Ou seja, se a aplicação ficar por 7 anos, pagará o imposto de 20% sob os juros, conforme tabela abaixo.

Já a progressiva é indicada para quem tem objetivos de curto e médio prazo e, sempre no resgate, o imposto cobrado antecipadamente será de 15%, com ajuste conforme o valor do resgate na declaração anual de imposto. Ou seja, caso o valor do resgate seja de R$ 2.500,00 em um mês, a alíquota cobrada será de 15%, mas na declaração anual de imposto, quando declarado, terá uma restituição, tendo em vista que a alíquota deveria ser de apenas 7,5%. Vejamos melhor na tabela abaixo.

– Mas e ai Fon, qual devo escolher?

Conforme dito ao longo do texto, o VGBL é indicado para longo prazo enquanto o PGBL é indicado para curto e médio prazo. Entretanto você deve escolher o plano que se enquadra melhor aos seus objetivos. Além disso, é muito importante que na hora de escolher o plano as taxas cobradas pela instituição financeira que vai gerir sua previdência sejam baixíssimas, caso contrário a rentabilidade será toda corroída.

Ficou alguma duvida? Deixa nos comentários abaixo!

Um abraço,

Fon

Crédito da imagem de capa

Gostou das dicas? Seja mais um leitor parceiro e nos pague um café!

Se esta dica for útil a você, retribua a gentileza e ajude a gente também! Cada vez que você reserva um produto por algum dos links abaixo, recebemos uma pequena comissão que ajuda a monetizar esta plataforma e a atualizar nosso conteúdo com várias dicas bacanas e úteis a você, sem que tenha que pagar nada a mais por isso. Caso tenha que cancelar a reserva por ter encontrado um preço melhor no Booking.com ou em outro parceiro, entre novamente no link de hospedagem abaixo para fazer a transação, já que o site de hospedagem desconsidera a comissão pra gente quando ocorre o cancelamento e é feita uma nova reserva. Muito obrigada ;-)