Líbano: dicas para quem vai pela primeira vez

Líbano: dicas para quem vai pela primeira vez

Já pensou em colocar o Líbano na sua wishlist? Eu, por exemplo, sempre tive vontade de conhecer este pequeno e histórico país da Ásia Ocidental. A vontade cresceu ainda mais depois que tivemos a oportunidade de compartilhar em nosso Instagram parte da viagem do Alê (Alexandre Mutran), que é de família libanesa e já foi três vezes pra lá. A coexistência e o respeito são das coisas mais lindas pra ele no país, apesar das diferenças.

Para vocês terem ideia, no Líbano é possível ver uma mesquita e uma igreja católica lado a lado, sem conflitos ou preconceitos. É possível ver antigas edificações, parcialmente devastadas durante a Guerra Civil, lado a lado com edificações modernas. Mulheres andando pelas ruas dos grandes centros da forma que entendem que devam andar.

O povo teve um aprendizado e evolução muito fortes no período pós-guerra. Esta tal mistura entre as edificações, por exemplo, representa um símbolo, uma reflexão do que aconteceu no passado. Ou seja, algo proposital para que o povo libanês lembre-se sempre dos fatos e não deixe mais que conflitos nada pacíficos aconteçam.

A bela Beirute – Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

A gente deste lado de cá do planeta nem imagina que o Líbano seja assim, não é mesmo? Muitos o atrelam a guerras e conflitos. Por isso, o mais bacana deste processo de conhecer lugares, cultura e gastronomia aos olhos do Alê foi perceber o Líbano como é de verdade.

STORIES QUE VIRARAM TEXTO COM DICAS SUPER ÚTEIS

Muitos seguidores e amigos rechearam Whatsapp e Instagram de perguntas sobre o destino. Todas muito bem e prontamente respondidas por ele. Obviamente, aproveitei a deixa e resolvi transformar os questionamentos em um texto com dicas para quem pretende ir ao Líbano pela primeira vez. Claro que não seria possível ir ao ar sem a ajuda e aval do Alê Mutran e fotos do Marcelo Simonka.

Sidon – Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

Sugiro que assistam esta última viagem deles na íntegra através dos highlights do Líbano no Instagram: alexandre_mutran. Ficará visualmente interativo e mais fácil de entender tudo que escreverei abaixo. Além disso, recomendo visitar também o perfil do Marcelo Simonka, que é fotografo profissional e recheou seu feed e este texto com fotos espetaculares do país.

ONDE FICA O LÍBANO?

Localizado no extremo sul do Mar Mediterrâneo, o Líbano pertence a Ásia Ocidental. Faz divisa com a Síria, Israel (fronteira permanentemente fechada e patrulhada pela ONU) e Chipre e é dividido por duas grandes cadeias de montanhas. Uma delas chama-se Monte Líbano e cruza o país de norte a sul. Já a outra é chamada de Antilíbano, que separa o país da Síria.

Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

No meio das cadeias está o Vale do Bekaa, uma região extremamente fértil em pleno deserto, com plantações de batatas, uvas, cerejas, nozes entre outras. Ou seja, algo praticamente único quando falamos de países árabes.

QUAL É A MELHOR ÉPOCA PARA IR AO LÍBANO?

Apesar de junho, julho e agosto serem meses muito quentes é o período em que as festas acontecem e as pessoas estão aproveitando o verão a pleno vapor. Já os meses de setembro e outubro, assim como, abril e maio possuem temperaturas mais agradáveis. Novembro é o mês em que a temperatura cai gradativamente.

Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

Se puder evitar o período entre dezembro a março, a não ser que queira esquiar, melhor. Além de ser muito frio, chove bastante em Beirute, por exemplo.

QUANTOS DIAS FICAR NO LÍBANO?

O ideal é ficar pelo menos 10 dias em uma primeira vez para conhecer bem e tranquilamente as principais cidades e atrações.

QUAIS CIDADES VISITAR NO LÍBANO E O QUE FAZER?

Claro que Beirute não pode faltar em nenhum roteiro, até porque será sua base e é recheada de atrações e história não somente do Líbano, mas também de toda civilização. A cidade foi completamente reconstruída durante o período pós-guerra. Nesta época, através das escavações, felizmente descobriu-se várias camadas de civilizações como as ruínas das Termas Romanas.

Raouche Rocks, Beirute – Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

Além de Beirute, Sidon e Tiro no Sul, o Vale do Bekaa e suas vinícolas, assim como Tripoli e Biblos no norte do país são praticamente mandatórios.

Em Tripoli, vá até o Maarad Rachid Karameh, um quase inativo Centro de Exposições construído nos anos 70. Por conta da guerra, seu funcionamento e obras foram interrompidos. Com apenas um pavilhão em funcionamento, é aberto a visitação, desde que faça o agendamento com antecedência. Vale principalmente pelo fato de ter várias obras de Oscar Niemeyer como uma quase réplica da Oca (localizada no Parque do Ibirapuera – São Paulo).

Maarad Rachid Karameh, Tripoli – Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

Biblos e o topo de sua fortaleza merecem especial atenção. São mais de 7 mil anos de existência, sendo a cidade berço do alfabeto. Se gosta de história das antigas civilizações, não deixe de visitar Anjar no Vale do Bekaa, uma das principais descobertas arqueológicas da humanidade. A cidade originalmente do século VIII, foi redescoberta nos anos 50 e, por incrível que pareça, está muito bem preservada.

Biblos – Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

AINDA NO VALE DO BEKAA..

tenha Baalbek na sua lista. A cidade além de ter o maior monolito do mundo, herança do Império Romano e que pesa mais de mil toneladas, tem templos romanos dos mais preservados. Destaque para o Templo de Júpiter e o belo Templo de Baco.

Baalbek – Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

ALÉM DISSO…

Andar por um souk é uma experiência incrível. Tente ir ao de Sidon, que é o único que manteve as características originais. Entretanto, evite ir em uma sexta feira, já que quase todas as suas lojas fecham mais cedo por questões religiosas.

A redescoberta Anjar – Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

Outra coisa que deve fazer é ir a um haman e relaxar com um banho turco. É muito bom e vai querer repetir, te garanto! (com base nos meus na Turquia)

GASTRONOMIA 

Por ser uma apaixonada pela gastronomia árabe, babei diariamente e literalmente nos Stories do Alê. Nem preciso dizer que se come muito e bem no país, certo?

Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

Se fosse você provava no tradicional e histórico Le Chef em Beirute um prato de hommus, pinhole (snoubar) e carne moída. Provava as esfihas do Lakkis Rest House em Baalbek, assim como, aproveitava para ver como são feitas as tradicionais e deliciosas esfihas árabes. Almoçaria ou jantaria no Pepe´s, que fica na região portuária de Biblos.

Comeria um kaak (pão árabe, de trigo integral, com a massa levemente adocicada e, geralmente, coberto com gergelim) puro ou recheado com coalhada, zaatar e azeitona, por exemplo. Yummy!!

Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

No mais é andar pelos souks e pelas ruas das cidades e provar o que os olhos pedirem para provar, inclusive os temperos. Tenho certeza que não se arrependerão! Amo zaatar, conheci há pouco o sumagre e não abro mão do pinhole.

Aos formigas de plantão, não deixe de ir a Rafaat Hallab 1881 em Tripoli, a mais antiga e tradicional doceria da cidade. Para terem uma ideia, quase uma tonelada de doces são vendidos diariamente.

Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

QUAL É A MELHOR FORMA DE SE LOCOMOVER NO LÍBANO?

O melhor dos mundos é se locomover com motorista ou guia (veja indicação abaixo), já que o transporte público não funciona bem e o trânsito é caótico. A última alternativa de locomoção certamente é alugar um carro.

Tripoli – Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

Caso queira transitar de Uber ou taxi são boas alternativas em Beirute e Tripoli, por exemplo.

ONDE FICAR EM BEIRUTE?

A rede hoteleira da cidade é muito boa. Para quem quiser ficar bem localizado e próximo das principais atrações, o ideal é ficar próximo a Downtown ou Zaitunay Bay.

Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO 

Tenho costume de consultar o Google Maps quando o assunto é localização, horário de funcionamento e afins. Mas sei que não me daria bem no Líbano, já que as informações no Google nem sempre serão confiáveis. O ideal é perguntar sobre o horário de funcionamento das coisas no hotel ou para o seu guia.

Por parte da população do Líbano ser muçulmana, alguns comércios não abrem integralmente às sextas feiras.

DÁ PARA SE VIRAR EM INGLÊS NO LÍBANO?

Sim, nas grandes cidades e na maioria dos casos sim. Caso a pessoa com que esteja falando não consiga te entender, ela provavelmente procurará ajuda com alguém que fale algum idioma que você fale. Como disse o Alê em nossos highlights sobre o Líbano, eles se esforçam muito para receber bem o turista. Ou seja, são uns queridos!

Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

Caso fale francês, pode ser uma alternativa, já que houve um período em que o Líbano foi dominado pela França. E aqui fica uma curiosidade. Em algumas frases eles misturam o árabe, inglês e francês.

GUIA TURÍSTICO E/OU AGÊNCIA DE VIAGENS NO LÍBANO

A recomendação é que façam contato com os guias/agências que o Alê já utilizou no Líbano, que são:

Mirakle Travel

Instagram: mirakletravel

Email: [email protected]

(Se estiver a procura de um guia no Líbano que fale português, veja pelos highlights do alexandre_mutran a fofura que é o Hassan).

Beirute – Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

Nada Nammour

Instagram: nadamitrinammour

Email: [email protected]

É POSSÍVEL IR AO LÍBANO DEPOIS DE IR À ISRAEL?

Caso tenha em seu passaporte o registro de ida a Israel dificilmente conseguirá entrar no Líbano, já que são inimigos declarados.

Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

É TRANQUILO PARA UMA MULHER VIAJAR SOZINHA PARA O LÍBANO? 

Sim, é tranquilo viajar e andar sozinha, principalmente, pelas ruas de Beirute. Entretanto, o ideal é contar com o apoio de um guia local que fale de preferência português para que possa ficar mais a vontade. Além disso, é fundamental contar com esta ajuda no trânsito entre as cidades e, obviamente para conhecer com mais pessoalidade a riquíssima história e cultura libanesas.

Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

Quando fui a Turquia também tive muitas dúvidas sobre vestimenta, comunicação e afins. A melhor decisão que tomei foi contratar um guia para ficar comigo o tempo todo. Por isso, recomendo que procurem os guias/agências acima citados (Mirakle Travel – Email: [email protected] e Nada Nammour – Email: [email protected])

PRECISA TER CUIDADO COM A VESTIMENTA?

O Líbano é o país árabe mais ocidentalizado, o que significa que verá mulheres trajadas com véu, shorts ou qualquer outra vestimenta transitando pelas ruas. Entretanto, para entrar nas mesquitas pernas, ombros e cabeças tem que estar cobertos, mas não se preocupe com isso agora. Normalmente na entrada das principais mesquitas tem uma espécie de hobby com diversas roupas/tecidos que pode pegar emprestado e utilizar durante a permanência na mesquita.

Tripoli – Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

Espero que tenham gostado do compiladão de dicas para quem vai ao Líbano pela primeira vez. Caso tenha alguma outra dúvida, comente para que possamos te ajudar. Sei que agora não é o momento ideal para ir ao país, mas o tenha na lista de próximos destinos. Se tudo der certo, em 2020 será a minha vez de tirar o Líbano da minha wishlist!

ESPECIAIS AGRADECIMENTOS

Claro que não poderia terminar este texto sem antes agradecer ao Alê Mutran por ter gentilmente compartilhado sua viagem pelo Líbano conosco, assim como, ter respondido prontamente todas as dúvidas e perguntas que surgiram. Shukran, Habib! 😉

Além dele, agradeço também ao fotografo profissional Marcelo Simonka, que é amigo do Alê, por ter cedido suas fotos para que eu pudesse ilustrar este texto. Confesso que foi difícil escolher quais fotos colocaria por aqui, já que é uma melhor que a outra.

Como dica boa a gente compartilha, aproveito para deixar seus contatos profissionais:

Baalbek – Crédito da foto: Marcelo Simonka (http://simonka.com.br/)

Gostou das dicas? Seja mais um leitor parceiro e nos pague um café!

Se esta dica for útil a você, retribua a gentileza e ajude a gente também! Cada vez que você reserva um produto por algum dos links abaixo, recebemos uma pequena comissão que ajuda a monetizar esta plataforma e a atualizar nosso conteúdo com várias dicas bacanas e úteis a você, sem que tenha que pagar nada a mais por isso. Caso tenha que cancelar a reserva por ter encontrado um preço melhor no Booking.com ou em outro parceiro, entre novamente no link de hospedagem abaixo para fazer a transação, já que o site de hospedagem desconsidera a comissão pra gente quando ocorre o cancelamento e é feita uma nova reserva. Muito obrigada ;-)